Páscoa da quarentena: 7 filmes e uma série

(ou Aquele em que eu volto depois de oito meses respondendo uma tag literária, mas com filmes) 


Quando publiquei o post anterior, não imaginei que demoraria tanto tempo para voltar a escrever por aqui, tampouco pensei que seria nas condições atuais. Para ser sincera, já estava me acostumando com a ideia de um ~hiato indefinido. Ensaiei alguns retornos que acabaram esquecidos nos rascunhos e aceitei a possibilidade de meu peixinho ter cumprido o seu papel e precisar adormecer até que seu retorno se fizesse necessário. Mas, como dizia, não imaginei que seria nas condições que estamos vivendo. Criei esse espaço como uma forma de escape dos meus apocalipses pessoais - muitas vezes influenciados por apocalipses mais gerais - e se alguém me dissesse que um dia eu atualizaria o blog durante um período de quarentena enquanto o mundo enfrenta um cenário que até poucas semanas atrás eu consideraria possível apenas em obras de ficção, eu não acreditaria. Contudo, aqui estamos.

Já faz quase um mês que não saio de casa, cansei da sensação de estar vivendo o mesmo domingo em loop e não aguento mais vestir pijama e moletom. Estou dormindo muito mal e a minha cabeça ansiosa não tem me dado um dia de paz e sossego. Porém, sigo firme tentando torcer pelo melhor, esperando o pior e fazendo o que está ao meu alcance para manter algum tipo de sanidade no meio de tanta incerteza e informação catastrófica. E foi com esse intuito que a Mia e eu decidimos voltar a escrever em nossos blogs nesse projetinho que resolvemos chamar de QUARENBEDA. Vejam bem, ninguém está se comprometendo a escrever todos os dias; a ideia é manter alguma regularidade nas atualizações, mas sem cobrança e sem se estressar durante o processo. É para ser algo leve e divertido e, por isso, é sobre coisas leves e divertidas que serão os posts. A palavra-chave na brincadeira é escapismo e a nossa inspiração pessoal é a blogosfera de 2016.

Assim, sem culpa e sem arrependimentos, decidimos aproveitar o feriado de Páscoa para responder a tag Filme de Chocolate (originalmente, Livro de Chocolate). Ao todo, são oito perguntas e precisamos relacionar tipos de chocolate com filmes.  Shall we begin?




🍫 Chocolate meio-amargo: um filme sobre um tópico obscuro 🍫 

Nós (Jordan Peele, 2019). Para ser sincera, não consegui definir muito bem o que seria um tópico obscuro e já que esse foi o primeiro filme em que pensei, seguiremos com ele, ok? Se você está à procura de um filme ~esquisito~, que vai prender a sua atenção do início ao fim e que meses depois (!) ainda permanecerá com você, Nós é a escolha perfeita. Aqui acompanhamos um casal que, com seus dois filhos, viaja para a praia para passar um fim de semana. Porém, nem tudo acontece como o planejado e eles se tornam reféns de um grupo de pessoas com aparências iguais às suas. Essa é a pior sinopse possível, por isso preciso que vocês acreditem em mim quando eu digo que esse filme é realmente bom e merecedor de todo o hype que recebeu. Por meio de suspense e da constante sensação de angústia-desespero-tensão, o filme nos leva a pensar nos monstros que vivem em nós mesmos, mas que não enxergamos pois suas existências já são normalizadas e, por isso, ninguém as questiona. Tem também mais um monte de reflexões possíveis a partir do filme, mas essa é a que mais ficou comigo desde que assisti ao filme.

🍫  Chocolate branco: um filme leve e bem-humorado 🍫 

17 Outra Vez (Burr Steers, 2009). O que você faria se pudesse voltar no tempo até o ensino médio e mudar a sua vida, corrigindo seus erros e aproveitando oportunidades diferentes? É sobre isso que esse filme fala. Aqui conhecemos Mike, que abandonou seu futuro promissor como astro do basquete para se casar com sua namorada do colégio e agora, mais de vinte anos depois, se encontra bastante frustrado. Contudo, ele recebe uma segunda chance quando, de forma inesperada, volta a ter 17 anos. É um filme leve, divertido e com ares de Sessão da Tarde (senti uma vibe muito Quero ser grande, aquele clássico com o Tom Hanks). Ah, e o Zac Efron e o Matthew Perry estão no elenco! 

🍫 Chocolate ao leite: um filme que virou moda e você está morrendo de vontade de assistir 🍫

Parasita (Bong Joon-ho, 2019). Não é todo dia que a gente vê filme sul-coreano levando estatueta do Oscar de Melhor Filme para casa, né? Não que a gente deva levar o Oscar sempre em consideração na hora de avaliar a qualidade de um filme, mas acho que, nesse caso, se até a Academia parou para olhar além das produções dos EUA e reconheceu o filme, deve ser porque ele é irresistivelmente bom e eu não sei o que estou fazendo da minha vida para não ter assistido ainda. Não faço a menor ideia do que o filme trata e pretendo permanecer assim até o momento de assistir, acho que será uma experiência melhor e surpreendente.

🍫 Chocolate com caramelo: um filme que te fez se sentir todo meloso 🍫 

Um lugar chamado Notting Hill (Roger Michell, 1999). Mais uma vez, um filme que foi o primeiro em que pensei quando li a pergunta e, nesse caso, faz todo o sentido do mundo. Comédias românticas, de forma geral, sempre me fazem ficar toda melosa, mas Notting Hill, talvez por ser uma das minhas preferidas, sempre fica em destaque. Toda a vibe desse filme me encanta. Adoro que ele é do fim dos anos 90 e me faz sentir uma nostalgia muito gostosa enquanto assisto (tem algo de muito mágico e especial nas comédias românticas desse período). Adoro que ele tem a Julia Roberts e o Hugh Grant, dois dos meus atores preferidos nesse tipo de filme. Adoro que uma atriz super famosa americana e um dono de livraria na Inglaterra se apaixonam! Adoro que o filme é na Inglaterra! Adoro a trilha sonora (When You Say Nothing At All, melhor música <3)! Adoro I'm also just a girl standing in front of a boy asking him to love her. EU AMO ESSE FILME.

🍫 Chocolate com wafer: um filme que te surpreendeu ultimamente 🍫

Pokémon: Mewtoo Contra-Ataca: Evolução (Tetsuo Yajima, Kunihiko Yuyama, Motonori Sakakibara, 2019). Primeiro que eu nem sabia que esse filme existia até ele entrar no catálogo da Netflix. Depois, não sabia se iria assistir e quando decidi que iria, fiquei com receio de que ele estragasse todas as minhas boas lembranças de criança feliz indo ao cinema assistir ao filme dos anos 90. Assim, coloquei as minhas expectativas lá no chão, dei play e...me surpreendi! Fiquei presa ao filme do início ao fim, gostei da nova ~roupagem~ da animação - apesar de achar que em algumas partes parecia video game, mas nem liguem para o que eu estou falando, eu nem jogo video game -, me emocionei horrores no final e, como era esperado, morri de amores pelo Pikachu. Foi uma experiência da qual gostei bastante e eu não imaginei que isso fosse acontecer.

🍫 Chocolate com amendoim: um filme que está te fazendo surtar 🍫

Star Wars - Episódio IX: A Ascensão Skywalker (J.J. Abrams, 2019). Em tempos de quarentena e de nenhuma ida ao cinema desde que o ano começou, a minha resposta só poderá ser o lançamento mais aguardado e comentado do ano passado. Mas é bem possível que se o cenário fosse outro, a minha resposta fosse a mesma. Eu saí do cinema completamente surtada todas as vezes que  assisti e sei que na próxima vez que eu assistir, ficarei surtada também. A Ascensão Skywalker dividiu opiniões e muita gente odiou, mas pra mim ele é O Retorno de Jedi da trilogia mais nova. E O Retorno de Jedi é o meu filme preferido de Star Wars. EU AMEI A ASCENSÃO SKYWALKER

🍫 Chocolate quente: um filme que te conforta 🍫

Dream A Little Dream (Marc Rocco, 1989). Nunca escondi que eu encontro muita #paz e #tranquilidade quando assisto filmes clássicos da Sessão da Tarde e do Cinema em Casa. Acho que é porque eles me transportam momentaneamente para uma época mais leve e sem muitas preocupações. Apesar de Dream a Little Dream atender aos critérios dos clássico do tipo, todos nós fomos privados pela Rede Globo ou pelo SBT de termos essa belezinha marcando nossas infâncias e adolescências, uma vez que nenhuma das emissoras a transmitiu. Não sei se lamento o ocorrido ou se agradeço, porque vocês não têm ideia da alegria que eu senti quando assisti ao filme pela primeira vez no ano passado. Desde então, todas as vezes que estou tendo um hell of a day me presenteio com o direito de assistir ao filme como uma forma de consolo. Aqui temos uma história de colégio com elementos de fantasia/ficção científica que não fazem o menor sentido, os dois Coreys invertendo seus papeis, uma cena musical marcante e a melhor trilha sonora de filme dos anos 80 que eu já ouvi! É sério, esse filme é ótimo. 

🍫 Caixa de chocolate: uma série variada que você acha que pode agradar pessoas de vários gostos 🍫 

Stranger Things (The Duffer Brothers, 2016). Eu poderia escolher uma franquia de filmes, mas decidi responder com uma série de TV de streaming. Meu blog, minhas regras. Já que estou no embalo da nostalgia e dos clássicos dos anos 80 que ~ marcaram a nossa telinha ~, vou aproveitar a oportunidade para encher o saco de quem ainda não viu Stranger Things apelando para que vocês aproveitem a quarentena para fazer uma visita à Hawkins e ceder aos encantos daquela ~ galerinha do barulho. É uma série envolvente (e leve em alguns momentos) e cheia de personagens cativantes. De forma geral, deve agradar à todo tipo de gente. Tem mistério, tem terror, tem romance, tem comédia, tem aventura. É ambientada nos anos 80 e, por isso, é recheada de referências. A trilha sonora é ótima também. Sério, assistam Stranger Things.

Um comentário

  1. Tenho muita vontade de assistir Nós, mas todo o sentimento que tive com Corra vem a tona e fico sem coragem pra assistir mais um do Jordan (pelo menos por enquanto).
    Achei fofa a coincidência de ter lido seu post na mesma semana em que 17 Outra Vez passou na Sessão da Tarde hahaha.
    E ASSISTE PARASITA!!!

    Limonada

    ResponderExcluir